terça-feira, 28 de julho de 2009

A diferença entre nascer e morrer

Lembrei dos nove meses que antecederam a chegada do meu filho. Os primeiros enjôos e uma sensação de corpo em alteração, já demonstrando que minha vida mudaria. Uma preparação para a nova vida que chegaria.
Foram nove meses de expectativas, algumas inseguranças, outras certezas, ... tive tempo pra rever meus conceitos, mudar hábitos, me tornar mãe com a chegada de um bebê, renovação da minha vida, na continuidade de meu nome, de meu sangue.
E quando ele chegou eu estava madura. Foi uma transição natural.

Fiquei pensando na morte sob o aspecto da espera e da preparação. Imaginei se fóssemos avisados nove meses antes, se nosso corpo se alterasse a ponto da morte chegar como um descanso, após um período preparatório. Como tudo seria diferente.
Teríamos tempo de amadurecer a idéia e deixarmos a mente envolvida de tal forma, nesses preparativos, para uma passagem tão tranquila quanto é a chegada de uma vida.

Nenhum comentário: