terça-feira, 24 de novembro de 2015

Coração de uma mãe

Hoje eu acordei muito cedo, pois estou em Ilhéus, para participar da Semana de Comunicação. A minha oficina de produção de fotografia em celular ia começar 8h e precisava estar pronta na porta do hotel às 7h. Ás 6:20h terminava o banho e ouvi meu celular vibrar. Ao ter condições de atender, seis chamadas de Lia, madrasta de Arthur. Meu coração entrou em alerta. Comecei a orar ali, será que meu filho estava adoentado?
Fui ligar, mas ela ligou de novo e atendi com coração na mão e já com voz entrecortada ela me conta: Alene, Guilherme, aconteceu um acidente. Ele caiu do sexto andar.
Penso que ela explicou mais coisas, mas eu só conseguia, por trás de uns olhos em lágrimas, ver uma parede branca e um filme passando. Um menininho doce, meigo, amado. Uma mãe batalhadora, que eu sempre achei guerreira, assim como eu, e que ao conversarmos, eu sempre falava com ela das minhas experiências de mãe. Somos todas iguais, queremos sempre acertar com nossos bebês.
Não sabia nem mais um detalhe e iniciei oração por ela. E por Gui, que na certeza de acolhimento espiritual, pedi luz e serenidade na passagem. E ela, que Nossa Senhora a acalmasse, a colocasse no colo. Meu coração doeu por ela, pela dor da mãe.
Depois, por conta de minha mãe, de namorado, vim a saber de detalhes que me deixaram ainda mais preocupada pela dor da família, de Cris.
Estou lembrando aqui da alegria da chegada de Gui, do quanto Arthur gostou de ter um priminho na mesma casa da avó, do quanto Cris e Lia ajudaram nos primeiros anos, da vozinha dele dizendo 'tiaiene'.
Gui, meu anjinho, muita paz porque sua missão agora é se recuperar e abençoar tua mãe. E ela, essa mãe desolada, meu pensamento mais acolhedor, minha dor em forma de abraço mental, meu pedido especial a Maria Mãe, que tanto sofreu e sabe amar seus filhos sofredores.
Essa mãe que agora está de mãos vazias e que vai aprender a amar na saudade eterna, a ela, meus sentimentos mais nobres. Na foto, Gui e Arthur, em atitude acolhedora com esse primo lindo.


Nenhum comentário: