sábado, 6 de março de 2010

Descobrindo o meu quintal


Tenho viajado pra longe, mas também pra perto. Já marquei uma ida à Chapada Diamantina: Na páscoa descobrirei uma das riquezas da Bahia. Mas hoje, "eu vim de Ilha de Maré, minha senhora"...
Ilha de Maré é uma das 56 ilhas que compõem a Baía de Todos os Santos. Andamos tanto, atravessamos mais da metade da ilha a pé. Caminhada das 9:30h até as 15hs, com apenas três paradinhas de 10 minutos. Quase morri. O joelho tá pedindo arrego, porque fiz descalça... haja impacto. Começamos pelo povoado de Botelho, passamos por Praia Grande, Passa Cavalo e Itamoabo. A turma toda, cerca de 20 pessoas, teve que vencer alguns obstáculos, porque havia chovido e tava tudo muito escorregadio.
No meio disso tudo, muito mangue para atravessar, atolar a alma e as unhas feitas, escorregar, se divertir, e descobrir um verdadeiro berçario de carangueijos. Foi interessante, pois nunca tinha atolado a alma no mangue ( atolar a alma é sentir uma massagem maravilhosa nos pés com a textura da lama).
Eu e meu amigo Maurício curtimos muito essa parte, enquanto a mulherada se queixava do medo de ganhar uma pegada de boca de carangueijo.

Vi gente muito linda pelo caminho: meninos descalços e risonhos, brincando com conchinhas, senhoras lavando roupa, senhores tecendo seus artefatos para a pesca, jovens no futebol na beira da praia...




Também vi lixo em todo canto, ouvi arrocha e achei muita coisa globalizada, a começar pelo tanto de parabólicas. E lá, numa casinha no meio do nada, a Beyoncè se fazia ouvir... coisas de lugarejos na era da globalização.
Mas a praia é um encanto à parte, agua morna, calma, deliciosa.
E no final do passeio, a natureza se rebelou. Fechou numa tempestade. linda, mas perigosa.

Um comentário:

Luciana Zacarias disse...

Eta que essa mulher é andarilha mesmo! rs. Viagem divertida com belas imagens...mt bom.