segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

As horas não programadas de pura satisfação

Ontem meu dia terminou de uma maneira que eu nunca imaginaria. No início da tarde de sábado vi um email de uma amiga querida dizendo que estava na Bahia. Respondi com meu número de celular e no meio da tarde de domingo ela me ligou. Horas depois estávamos juntas. Há quase doze anos não via Patie. Estudamos juntas em Campo Grande, MS, tínhamos a fotografia por paixão e muitas conversas maravilhosas sobre vida, amores e sonhos. Eu abandonei um semestre de jornalismo para vir à Bahia fazer mais um semestre de Direito e acabamos em turmas diferentes. Ela formou seis meses antes de mim e foi embora. A internet foi nosso elo nestes doze anos. Patie morou na Índia, em Singapura, na Suiça e retornou ao Brasil quando eu já voltara à Bahia. Tivemos filhos, mudamos nossos corpos e cabeças. E ontem conheci sua obra mais linda, um jovem rapaz de três anos, o Luca.
Caminhamos nas ruas do Pelourinho, jantamos juntas. E fui dormir tão feliz, porque atualmente, me enche o coração de sentimentos de satisfação, resgatar os bons momentos com pessoas queridas. E 2010 quero que seja assim... uma coleção de dias sem muitos planos, de horas que se estendem porque são horas boas.

2 comentários:

Bel disse...

Oooow, coisa boa é reencontrar amigos e reinventar a amizade!
#inveja mode on

Quando vc vem aqui? Tô com saudaaaaade!

Bjo!

Patricia Nascimento Delorme disse...

Amiga!
Que texto lindo sobre o nosso encontro na Bahia!
Foi realmente uma surpresa linda do Universo permitir estamos no mesmo tempo e espaço naquele domingo e segunda.
Beijo grande e celebremos a internet que diminui cada vez mais as distancias.
saudades ja e sempre!