segunda-feira, 23 de julho de 2012

Cultivando um leitor

Hoje foi um dia especial para filhote. Ele conheceu um dos seus autores preferidos, o Antonio Cedraz, da 'Turma do Xaxado'. Mariana deu um livro autografado do Cedraz, dedicado a Arthur, quando ele tinha seis anos, e ele se encantou. Na sexta, sabendo que a escola iria trazer o autor para apresentar sua obra, ele logo tratou de me pedir dinheiro para comprar três outros livros dele e de pegar os seus antigos, para mostrar ao escritor como estão usados, lidos e relidos. Arthur ganhou seu primeiro livro ainda bebê, um desses livros de plástico, acolchoados, que ia até pra banheira. Adorava. Aos poucos foi se encantando com aqueles objetos que faziam viajar, seja pelos desenhos ou pelas histórias. Começou a ler no início dos 5 anos e desde aquele período desenvolveu um 'cocô intelectual', onde só vai ao banheiro acompanhado e se não ficarmos atentos, o tempo do vaso sanitário dura todo o livro. Tem a coleção do 'Diário do Banana', os 'Quadrões' do Maurício de Souza, alguns livros de história de pintores (ele adora história da arte), livros sobre invenções, fábulas, Bíblia ilustrada (que comprei em um sebo e é editada em Lisboa), tem gibis e a sorte de ser primo de Luís Augusto Gouveia, autor da maravilhosa série 'Fala Menino', que deu a ele também alguns exemplares autografados. Vejo em meu pequeno o melhor dos hábitos, cultivado com dedicação e encanto. Não sei se ele vai gostar um dia do que eu gosto de ler, mas ficarei feliz se, ao desencarnar, meu filho souber o que fazer com meus livros...

Um comentário:

MSalles disse...

Me sinto lisonjeada por fazer parte dessa história do querido Rei Arthur. Como é bom saber que seu desenvolvimento caminha de vento em polpa e por conhecer a mãe que tem, sei que será um grande homem , tanto como pessoa como de coração. Beijos